Atividade: Palestra

 

CONTRIBUIÇÕES DOS MODELOS EXPERIMENTAIS PARA A COMPREENSÃO E TRATAMENTO DA DEPRESSÃO.

 

MARIA CRISTINA ZAGO CASTELLI

Universidade Anchieta


A depressão é a psicopatologia de maior incidência na nossa sociedade ocidental atual. Os Modelos Experimentais oferecem uma estratégia interessante para aumentar a nossa compreensão sobre o fenômeno Depressão e em consequência disso o desenvolvimento dessa área tem sido cada vez mais relevante.  Tais modelos pretendem oferecer detalhes sobre as variáveis desencadeadoras e mantenedoras e ainda fazer apontamentos sobre tratamentos. O desamparo aprendido é o modelo que parece  mimetizar melhor  a depressão em vários aspectos: similaridade com os sintomas, etiologia, cura e prevenção.  Destaca-se nesse trabalho, a identificação em detalhes de alguns modelos de Depressão incluindo o Desamparo Aprendido. Serão analisadas as classificações de validação dos modelos experimentais segundo autores da área. Considerando a abordagem analítico-comportamental  será focalizada a complexa interação organismo-ambiente que se desenvolve e  se estabelece como padrão nesse fenômeno conhecido por Depressão. Explorar essas combinações comportamento-ambiente em diversos níveis são oportunidades frutíferas e integradoras do conhecimento cientifico oferecidas pelos Modelos Experimentais.