Atividade: Estudos de Casos Clínicos

 

“EU NÃO CONSIGO EMAGRECER!”: ESTUDO DE CASO EM TERAPIA POR CONTINGÊNCIAS DE REFORÇAMENTO (TCR)

 

CAMILA NEGREIROS COMODO

ITCR - Campinas

 

Luisa (23) morava com os pais, namorava havia três anos, fazia faculdade a distância e trabalhava para a mãe. A cliente procurou psicoterapia se queixando de que não conseguia emagrecer. Relatou ainda que já havia procurado nutricionistas e endocrinologistas e não tinha sido bem sucedida na perda de peso, pois não conseguia se manter nas dietas propostas. Ao longo da psicoterapia foi possível analisar que Luisa tinha dificuldade não apenas em emagrecer, mas também em situações no contexto de trabalho e de faculdade. Em diversas situações Luisa chegava atrasada no trabalho e tinha dificuldade em cumprir os prazos estipulados pela mãe. Na faculdade, Luisa não conseguia manter um ritmo de estudo, assistindo às aulas apenas na véspera das provas. Apesar dessas dificuldades, Luisa tinha pouco contato com consequências aversivas que poderiam ser produzidas por seus comportamentos, uma vez que os pais amenizavam as possíveis punições que Luisa poderia ter. Diante dessas Contingências de Reforçamento (CR) familiares que pouco valorizavam os comportamentos de persistência, de cumprimento de regras, de tolerância a frustrações e de responsabilidade; e amenizavam ou não aplicavam consequências aversivas para comportamentos impulsivos; Luisa passou a apresentar déficitis importantes que culminaram em dificuldades com o peso, com a faculdade e com o trabalho. Dessa forma, os objetivos da psicoterapia com Luisa foram: aprimorar a discriminação que a cliente tinha das funções do ambiente social e de seus comportamentos, desenvolver repertório de autocontrole e de seguimento de regras e fortalecer sentimentos de tolerância a frustração e de responsabilidade. Os procedimentos utilizados para atingir esses objetivos foram: descrição e análise de contingências; instruções sobre conceitos da Análise do Comportamento; definição, junto com Luisa, de classes desejadas de comportamento que ela deveria apresentar; modelação; instruções sobre os comportamentos desejados de autocontrole, tolerância a frustração e responsabilidade; apresentação de estímulos discriminativos mais eficazes para evocar os comportamentos desejados; apresentação de consequências coerentes com os comportamentos emitidos por Luisa. A cliente continua em processo psicoterapêutico, e até o momento apresentou alguns resultados importantes relacionados com os objetivos propostos: se engajou em uma dieta e conseguiu emagrecer alguns quilos, apresentou comportamentos mais responsáveis no trabalho e no contexto de estudo.  

 

Palavras-chave: Comportamentos de autocontrole; comportamentos de responsabilidade; Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR).