Atividade: Estudos de Casos Clínicos

 

PRECISAMOS FALAR SOBRE RODRIGO: UM ESTUDO DE CASO EM TERAPIA POR CONTINGÊNCIAS DE REFORÇAMENTO (TCR).

 

ALICE FRUNGILLO LIMA

ITCR – Campinas

Rodrigo (15), estudante do segundo ano do Ensino Médio de uma escola particular, irmão mais velho de Beatriz (19), filho de Sérgio e Sandra, foi levado à psicoterapia em 2014 pelos pais. Rodrigo tinha diagnóstico de Transtorno Obsessivo Compulsivo e era medicado para tal. Sua irmã era diagnosticada com Esquizofrenia e também recebia medicação. Além disso, seu pai também era medicado para Transtorno Obsessivo Compulsivo. Os pais de Rodrigo apresentavam queixas relacionadas aos comportamentos agressivos do filho, assim como outros comportamentos indesejados: insensibilidade aos outros e recorrentes brigas com a irmã. Durante o processo psicoterapêutico foi possível identificar outras dificuldades do cliente: déficit nos comportamentos de assertividade, de autocontrole e também no repertório social. Além disso, havia excesso de respostas de fuga-esquiva dentro de casa e nas sessões. A psicoterapeuta identificou também dificuldades dos pais: dificuldades para estabelecer regras e aplicar consequências, comportamentos impulsivos da mãe e comportamentos agressivos do pai. Os objetivos do processo psicoterapêutico incluíram: instalação de repertório de seguir regras apropriadas; discriminação das Contingências de Reforçamento em operação; discriminação entre comportamentos desejados e indesejados; desenvolvimento de repertório social desejado, de sensibilidade ao outro, de autocontrole e de autoconhecimento. Os procedimentos utilizados foram principalmente instruções verbais, modelação e modelagem.  Como resultado dos procedimentos utilizados no processo psicoterapêutico, Rodrigo passou a emitir mais respostas de autocontrole e sensibilidade ao outro, assim como emitir respostas que produziam melhor interação social.

 

Palavras-Chave: Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR);  comportamentos disfuncionais; estudo de caso.