Atividade: Comunicação Oral (Pesquisa experimental básica)

 

TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE: CONSIDERAÇÕES SOBRE O TRANSTORNO EM ADULTOS

ROSIANE GONÇALVES COELHO SILVA

UNIP – Campinas

Este trabalho foi desenvolvido através de levantamento bibliográfico, realizado com livros e artigos de revistas científicas . O TDAH se caracteriza pela desatenção, hiperatividade e impulsividade. A partir dos anos 80, o TDAH vem ocupando lugar de destaque na vida dos pais e também de profissionais de saúde mental, sendo considerado o principal distúrbio psicológico em crianças, porém sem muita divulgação. Porém, nos últimos anos uma grande quantidade de estudos sobre TDAH tem sido focada na população adulta. Sabe-se que cerca de 2/3 das crianças com TDAH seguem com os sintomas do transtorno na vida adulta. Muitos adultos, no entanto, cresceram com o problema e nem sabem que a dificuldade em se concentrar é um problema com tratamento e controle bem definidos. Dados da associação Brasileira de Déficit de Atenção (ABDA) estimam que 4% da população adulta podem ter déficit de atenção e, aproximadamente, 80% dos casos tiveram inicio na infância. O tripé Desatenção, impulsividade e hiperatividade�também está presente nos adultos. Embora se apresente de maneira diferente, na maioria dos adultos a desatenção é predominante em relação a hiperatividade. A maioria dos adultos acaba por desenvolver estratégias compensatórias para lidar com seus déficits e os prejuízos por eles acarretados, especialmente os adultos que têm QI mais alto, condição econômica estável e/ou outros fatores de resiliência. O TDAH não está ligado a fatores culturais ou conflitos psicológicos, mas sim a pequenas alterações na região frontal do cérebro, responsável pela inibição do comportamento e do controle da atenção. O que contribui para o desenvolvimento de uma pessoa com TDAH é o diagnóostico precoce, correto e o tratamento adequado, trazendo uma melhora significativa nas relações interpessoais com cônjuges, familiares e amigos. Não existe marcador biológico para o TDAH, seu diagnóstico é clínico, baseado em entrevista com o paciente, pais, professores e pessoas que lidam com o portador. Em relação ao gênero, ao contrário dos relatos clínicos do TDAH em crianças, a relação de homens / mulheres com TDAH é de 1:1.Fazem-se necessários mais estudos a fim de elucidar dúvidas ainda existentes sobre o problema e divulgar informações básicas para a população que na grande maioria desconhece a existência do TDAH.

Palavras-chave: Diagnóstico precoce; adultos; TDAH.