Atividade: Comunicação oral (Estudo de caso clínico)

 

PRODUTOS COMPORTAMENTAIS DO REFORÇO LIVRE: UM ESTUDO DE CASO EM TERAPIA POR CONTINGÊNCIAS DE REFORÇAMENTO (TCR)

 

DOUGLAS MACHADO ALBRECHT

ITCR Campinas

 

Carlos Esteves

NTCR Curitiba

 

Felipe (32), solteiro, morava com a mãe, o padrasto, a irmã (16) e o irmão (27). Tinha outra irmã (25) que residia próximo, com o namorado. Os três irmãos do cliente eram filhos do casal, enquanto que Felipe nasceu de um relacionamento da mãe com o pai biológico, com quem nunca manteve contato. Aquele fora o único amor da vida dela, afirmava a mãe. Essa afirmativa pareceu exercer controle sobre os comportamentos do cliente em relação ao seu padrasto. No início do processo psicoterapêutico, Felipe havia acabado de perder o emprego de auxiliar de produção, do qual estava afastado por cinco anos. Chegou para a psicoterapia encaminhado pela psicoterapeuta anterior que mudou de cidade e porque desejava ser atendido por um homem, essa segunda razão facilitou o trabalho de questões da sua vida sexual. A queixa principal do cliente estava relacionada ao estado depressivo acentuado. Felipe já havia tentado suicídio duas vezes em 2011 e relatava que tinha uma  vida intensamente restrita devido à depressão. O diagnóstico do cliente era de Transtorno Afetivo Bipolar (TAB), com risco importante de suicídio. Observou-se que as queixas e os prejuízos apresentados pelo cliente surgiram e se mantiveram como resultado da história de reforçamento livre ao qual ele foi exposto (especialmente em função da mãe, padrasto e avó materna). Esse processo se encarregou de produzir extensos déficits de comportamento no cliente. Era visível o seu significativo isolamento social e o efeito aversivo que as suas tentativas de interação exerciam sobre as outras pessoas (na forma de comportamentos de queixa e relatos da doença). O seu aspecto físico e motor debilitado, as dificuldades para pensar e para emitir comportamentos que produzissem reforços positivos foram dados que mostraram a extensão dos déficits do repertório comportamental do cliente. Fatos importantes da sua história de contingências de reforço foram o abandono pelo pai, o período em que foi cuidado pela avó materna, e a acolhida pelo padrasto aos três anos. Essas relações principais fundamentaram a conceituação comportamental do caso. Os principais procedimentos adotados foram a extinção operante dos comportamentos de queixa e o reforçamento diferencial de respostas incompatíveis com as queixas além do treino discriminativo do efeito dos seus comportamentos sobre as pessoas e dos comportamentos do padrasto em relação ao cliente. No curso de 43 sessões, surgiram resultados relevantes no processo discriminativo, redução das queixas emitidas, desenvolvimento de habilidades sociais e melhora do funcionamento emocional geral.

 

Palavras-chave: Reforço livre; Custo de resposta; Depressão; Suicídio; Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR).

 

.