Atividade: Comunicação oral (Estudo de caso clínico)

 

UMA GAROTA EXEMPLAR: ESTUDO DE CASO EM TERAPIA POR CONTINGÊNCIAS DE REFORÇAMENTO (TCR)

 

ADRIANA FREIRE MARTINS SERRANO

ITCR Campinas

 

Florença Lucia Coelho Justino

ITCR Campinas

 

Amelie (39) dizia-se “decidida” a se separar de Nicolas, com quem estava casada há 16 anos, quando procurou a psicoterapia. Queixou-se de que o marido era agressivo, acomodado, irresponsável e vinha apresentando comportamentos compatíveis com os de adultério. Amelie afirmou que ainda não havia se separado de fato por causa da filha, de 9 anos, que sentiria falta do pai. De forma geral, o relato verbal da cliente se centrava nos comportamentos-problema do marido, revelando uma dificuldade em se responsabilizar pela crise no relacionamento conjugal. Assim, o objetivo inicial do processo psicoterapêutico foi ampliar o repertório discriminativo sob controle das Contingências de Reforçamento (CR) que estavam em operação e das funções dos comportamentos da própria cliente na produção da crise no relacionamento conjugal. Foram observadas dificuldades de Amelie para se comportar sob controle do que sentia e das CR em operação, além de baixa variabilidade comportamental para produzir reforçadores positivos para si própria. Desse modo, a psicoterapeuta utilizou: a) descrições das CR em operação, principalmente as que envolviam os sentimentos da cliente e suas regras e autorregras; b) descrições da relação entre os comportamentos da cliente e os do marido; e dos estímulos que controlavam o comportamento da cliente, de modo a produzir estímulos aversivos para ela, além de (c) reforçamento diferencial de comportamentos que modificassem esse controle a partir de respostas emitidas pela própria Amelie. Como resultado, a cliente passou a consequenciar com atenção e afeto comportamentos do marido que antes eram colocados em extinção, tornando o ambiente conjugal mais reforçador e ameno para o casal. Além disso, Amelie passou a emitir respostas sob controle das CR em operação, produzindo reforçadores naturais para si e deixando de esperar por consequências reforçadoras arbitrárias. Observou-se ainda a emissão de comportamentos de contracontrole por parte de Amelie, que reduziram as
verbalizações de vitimização e impotência da cliente. Uma vez que as mudanças alcançadas tornaram o casamento menos aversivo para Amelie, ela desistiu de se separar e passou a investir no relacionamento conjugal de forma a torná-lo mais reforçador.

 

Palavras-chave: Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR); contracontrole; relacionamento conjugal.