Atividade: Sessão Coordenada

 

TDAH E COMPORTAMENTO OPOSITOR, AMPLIAÇÃO DE REPERTÓRIOS COMPORTAMENTAIS EM CASO CLÍNICO DE CRIANÇA PELA TERAPIA POR CONTINGÊNCIAS DE REFORÇAMENTO (TCR)

 

THAIS SAGLIETTI MEIRA BARROS ROCHA

ITCR - Campinas

 

 

Edu (8) frequentava o 2o ano do Ensino Fundamental no início da psicoterapia, morava com os pais e dois irmãos mais velhos. Foi encaminhado para avaliação psicológica a pedido da escola. Havia iniciado acompanhamento com psiquiatra infantil (diagnóstico de TDAH) e uso de medicação (Ritalina). A mãe relatou agitação, impulsividade, conflitos com irmão do meio, baixo seguimento de regras, constante enfrentamento em relação a figuras de autoridade, muitos comportamentos de provocação, de não assumir responsabilidade por suas ações e de mentir. A escola também destacava: desatenção, comportamentos agressivos, comportamento opositor, dificuldades nos vínculos sociais. Nas primeiras sessões, Edu se comportou de modo opositor, controlador e pouco amigável. Os objetivos psicoterapêuticos foram: promover bom vínculo com Edu; levá-lo a ficar sob controle dos efeitos de seus comportamentos sobre os outros e sobre si mesmo; ampliar repertório comportamental de habilidades sociais; aumentar sua tolerância à frustração; orientação parental para consequenciação adequada e contingente aos comportamentos de Edu; orientação escolar para lidar com os comportamentos de agressividade. Foram utilizados procedimentos de descrição das contingências de reforçamento em operação, reforçamento diferencial de outros comportamentos (dro), modelagem de comportamentos que favorecessem contatos sociais mais desejados. Como resultados (18 meses), Edu passou a observar melhor os efeitos de seus comportamentos, melhorou consideravelmente seus vínculos sociais (passando a fazer e receber mais convites de amigos), houve redução dos comportamentos agressivos e dos comportamentos opositores. Passou a seguir mais regras e a ficar sob controle de acordos feitos com os pais (como, por exemplo, fazer as tarefas de casa antes de outras atividades), passou a sentir-se mais autoconfiante diante de melhores resultados de desempenho escolar.

Palavras-chave: Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR); comportamento opositor; déficit no repertório social.