Atividade: Sessão Coordenada

 

 

“ÔNIBUS 174” – ANÁLISE DAS CONTINGENCIAS DE REFORÇAMENTO QUE TRANSFORMARAM UMA VÍTIMA EM ALGOZ

 

RAQUEL DEPERON

ITCR - Campinas

 

Em 12 de junho de 2000, um ônibus foi sequestrado no Jardim Botânico - Rio de Janeiro. Esse sequestro foi filmado e transmitido em rede nacional e ao vivo, paralisando o país. O sequestrador manteve reféns no ônibus por quatro horas, enquanto dizia que a partir das 18h iria matar todos, e chegou a simular a morte de uma refém. Neste trabalho serão discutidas quais Contingências de Reforçamento (CR) podem levar uma pessoa do papel de vítima ao papel de algoz, a partir de uma história real e brasileira ilustrada no filme documentário “Ônibus 174”, lançado em 2002. Serão apresentados  trechos da história de vida do “personagem” central deste documentário, Sandro, o sequestrador do ônibus. Ao analisar a história de CR de Sandro, é possível identificar que ele foi exposto a CR coercitivas, desde seu nascimento até sua morte. Um exemplo disso foi o fato de, aos seis anos, Sandro ver sua mãe sendo morta. Somados a este evento, tantos outros contribuíram para o processo de mudança do papel de vítima para algoz, tais como: perder vínculos familiares, morar nas ruas e ser vítima não fatal da chacina da Candelária. O trabalho foi desenvolvido com o objetivo de reconstruir a história de CR de Sandro por meio dos eventos supracitados, a partir do referencial teórico da Análise do Comportamento.

 

Palavras-chaves: Contingências de Reforçamento; vítima, algoz ; ônibus 174.