Atividade: Sessão Coordenada

 

  DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS: UMA LEITURA PELA TERAPIA POR CONTINGÊNCIAS DE REFORÇAMENTO (TCR)

CRISTINA REZENDE CARVALHO CASTILHO

Fundação AFFEMG de Assistência e Saúde  - FUNDAFFEMG

 

As doenças inflamatórias intestinais, tais como a Doença de Crohn e a Retocolite Ulcerativa, ainda são doenças desconhecidas por muitos psicoterapeutas e, em especial, psicoterapeutas comportamentais. Conhecer o que são essas doenças, como se manifestam, com quais contingências de reforçamento (CR) o portador deve aprender a lidar para viver melhor e mais adaptado às consequências da doença é de fundamental importância para a condução do caso clínico. Especificamente em relação à Doença de Crohn, há várias teorias que buscam explicar a sua causa, mas o consenso indica que fatores emocionais podem contribuir para agravar os sintomas e/ou aumentar as recidivas da doença, visto ser uma doença crônica. Cabe ressaltar que, para a TCR, os sentimentos são produtos das contingências de reforçamento que atuam na vida do indivíduo e consistem em um conjunto de comportamentos respondentes e operantes. Por meio do relato de uma crohnista no livro “Registros de Uma Crohnista”, objetiva-se identificar e descrever as contingências de reforçamento presentes em quinze anos de Doença de Crohn, desde o diagnóstico até o momento atual. Foi feita uma análise das dificuldades comportamentais da cliente, e apresentada uma interpretação das manifestações e reaparecimento dos sintomas sob a ótica da TCR. Assim, de acordo com a história de contingências da narradora, foi possível identificar padrões comportamentais tais como alto nível de exigência por desempenho comportamental; a dificuldade para lidar com frustrações, gerando comportamentos de fuga-esquiva; o déficit no repertório para relacionamentos afetivos, os quais geravam inseguranças e isolamento; comportamentos governados por autorregras em detrimento das CR que estavam presentemente em operação, e baixa autoestima, ou seja, para produzir reforçadores positivos. Diante do aumento do número de portadores de doenças inflamatórias intestinais, inclusive entre crianças e adolescentes, é imprescindível que o psicoterapeuta comportamental busque estudar essas doenças e os comportamentos característicos dos portadores para realizar boa condução clínica na perspectiva de utilizar a análise de CR para o crescimento pessoal e, por consequência, social do cliente, minimizando as dores e diminuindo a frequência das recidivas da doença. 

  

Palavras-chave: Doenças Inflamatórias; Doença de Crohn; Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR).