Atividade: Painel (Avaliação de intervenção em saúde)

 

PROTOCOLO DE AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO NO CONTEXTO DE PESQUISA EM UM AMBULATÓRIO DE HOMEOPATIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA E ESTUDO DE CASO

 

Viviane Dutra Gama

Ana Carolina Messias

Maria de Jesus Dutra dos Reis

 

Universidade Federal de São Carlos

 

Um dos desafios da atuação do psicólogo nas unidades de saúde é sua inserção em equipes multiprofissionais, em particular quando envolve o desenvolvimento de pesquisa em equipe. O presente trabalho foi desenvolvido por estudantes de psicologia, no contexto de uma pesquisa realizada em ambulatório de atendimento psiquiátrico, ao avaliar através da aplicação de entrevista e instrumentos padronizados, a evolução do quadro depressivo mediante dois distintos tratamentos medicamentosos: medicação homeopática ou alopática (Sertralina). As análises endereçadas no presente trabalho visaram: 1) apresentar, de maneira operacional, um relato da experiência profissional de duas estagiárias de Psicologia, com relação a coleta e cuidados dos usuários participantes da pesquisa; e, 2) apresentar um estudo de caso de um destes usuários, descrevendo o protocolo de avaliação e intervenção. Foram avaliadas 42 pessoas, 34 mulheres e 8 homens, num total de 171 atendimentos entre março e dezembro de 2015. Eram utilizados para a avaliação da evolução da condição de depressão, uma entrevista semiestruturada e a aplicação de instrumentos psicodiagnósticos, a saber: Inventário PROMIS 1, Inventário de Montgomery e Qualidade de Vida (WHOQO_36). Considerando o controle experimental do efeito medicamentoso, foi solicitado que as estagiárias não realizassem intervenções psicoterapêuticas. Entretanto, em situações relatadas pelo usuário onde eram constatados prejuízos físicos e sociais severos, foi desenvolvido um protocolo de atuação, com os seguintes passos, em todas as condições: 1) escuta qualificada; 2) avaliação funcional dos comportamentos relatados pelo cliente; 3) avaliação de possíveis comportamentos-alvo em futura intervenção; 4) intervenção programada e controlada; e, 5) avaliação dos resultados da intervenção proposta. O estudo de caso ilustra o protocolo aplicado a uma participante; do sexo feminino, 35 anos, casada, com duas filhas (14 e 9 anos). A cliente apresentava déficits comportamentais em seu repertório de habilidades sociais que interferiam em seu relacionamento com familiares e pessoas próximas. Foi possível identificar, ainda, comportamentos sociais pouco desejados ligados à vida profissional. Descrevia uma relação coercitiva, autoritária e/ou negligente com as filhas. A análise funcional levou ao planejamento de uma intervenção voltada majoritariamente para o desenvolvimento de repertório de habilidades sociais, particularmente discriminar contingências de seu comportamento que afetavam diferencialmente a relação com outras agências sociais. Durante este período de intervenção, a cliente concluiu sua participação no estudo e foi encaminhada para atendimento psicoterapêutico individual, na mesma unidade da pesquisa. Discutir-se-á os desafios e problemas envolvidos na relação do controle experimental versus os cuidados éticos da intervenção psicológica.

 

Palavras-Chave: Atendimento ambulatorial; avaliação psicológica; SUS; análise funcional.