Atividade: Painel (Pesquisa Exploratória e de Levantamento)
 


EXPLORANDO O FENÔMENO CYBERBULLYING EM ESCOLAS DO INTERIOR
PAULISTA

 

RENAN APARECIDO DA SILVA REIS       

Rachel de Faria Brino           

Universidade Federal de São Carlos           

Cada vez mais crianças e adolescentes utilizam o ambiente virtual e a Internet para se comunicar, se expressar e se relacionar uns com os outros. Quando tratado de forma isolada, o bullying fica restrito ao local em que foi ou é praticado, entretanto, com o avanço das tecnologias de informação e o fácil acesso ao meio virtual, esta prática atingiu outras esferas que já não se limitam somente ao ambiente físico. A prática do bullying no ambiente virtual é denominada cyberbullying, que é caracterizado por envolver equipamentos eletrônicos conectados à rede de Internet no meio virtual, que dão suporte para que comportamentos direcionados, repetitivos, ameaçadores e hostis de um indivíduo ou grupo com a intenção de prejudicar outra pessoa sejam realizados. Dadas as ferramentas necessárias, as pessoas podem ser ofendidas independentemente do local onde se encontram e do momento em que estão presentes ou não no ambiente físico, alcançando um número imensurável de expectadores que propagarão a ofensa. Um dos principais aspectos do cyberbullying é a dificuldade em detecta-lo devido ao seu anonimato de quem o pratica e a sua rápida disseminação. As reações emocionais de uma vítima de cyberbullying são imprevisíveis, oscilando entre agressões físicas a pessoas próximas, disritmia do sono, depressão, ansiedade, pânico, podendo ser causa de suicido de vários jovens. Devido à gravidade destas consequências para a saúde dos indivíduos e a necessidade de se obter indicadores que subsidiem intervenções para combate e prevenção da problemática, este estudo objetivou levantar a ocorrência de cyberbullying em escolas de um município de médio porte do interior paulista, bem como investigar as principais práticas de cyberbullying realizadas pelas crianças e adolescentes.  Participaram do estudo 168 adolescentes entre 13 e 17 anos. Foi aplicado o Revised Cyberbullying Inventory presencialmente, nas salas de aula das escolas envolvidas na pesquisa. Os principais resultados foram os relatos de envolvimento em práticas de cyberbullying de 50% dos alunos participantes, sendo que as principais atividades apontadas por estes participantes foram ameaças em fóruns, compartilhamento de conversas privadas e exclusão de grupos de discussões. A taxa de ocorrência corresponde às encontradas para a ocorrência do bullying presencial em estudos anteriores. Indica-se a necessidade de intervenções nas escolas a fim de prevenir e combater a ocorrência de fenômeno tão danoso à saúde dos indivíduos.

 

Palavras- chaves: Cyberbullying, bullying, violência, virtual, adolescentes.