Atividade: Painel (Estudo de caso in loco)

ANÁLISE FUNCIONAL DA DINÂMICA DE INTERAÇÃO DE UM TIME DE BASQUETE JUVENIL

ORJANA DE OLIVEIRA PACHECO

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita – UNESP

A Psicologia do Esporte é uma área que surgiu no início do século XX e tem recebido atenção crescente nos últimos anos, seja pela ênfase dada ao esporte por meio da mídia, seja pela preocupação com a manutenção da saúde física que advém da sociedade em geral. Diante desse contexto, o presente trabalho teve como objetivo a análise da dinâmica de interação de um time de basquete juvenil  da cidade de Assis, interior de São Paulo, utilizando como referencial teórico os conceitos do Behaviorismo Radical e da Análise do Comportamento. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com os integrantes do time, seguindo um roteiro para investigação de aspectos pessoais; integração do grupo; dificuldades e expectativas em relação ao basquete. A coleta do material foi feita com o auxílio de gravadores e posteriormente as respostas foram transcritas e analisadas segundo os conceitos da análise funcional do comportamento1. esquema de reforçamento contínuo ou CRF (todas as vezes que as respostas são emitidas, serão reforçadas); 2. esquema de reforçamento intermitente (algumas respostas serão reforçadas); 3. punição. As observações das contingências de reforçamento em operação sugeriram que o principal motivo das derrotas do time em quadra foram os comportamentos de desunião do time, o que também foi constatado nos relatos verbais feitos a partir das entrevistas. Outro aspecto relevante foi a falta de experiência do treinador como técnico de um time juvenil. Cabe contextualizar que o técnico já havia sido jogador do time adulto de basquete de Assis e, segundo palavras suas, é proveniente de gerações vencedoras desde o início de sua carreira esportiva, o que pode explicar a sua baixa tolerância à frustração. Houve o uso da punição pelo técnico, em respostas com o fenótipo de palavras fortes e imposição de opinião com função de reduzir respostas de desobediência.  Pode-se avaliar que não estavam sendo manejadas contingências com apresentação de reforço positivo, representada pelo baixo incentivo financeiro, o que também pode ter sido uma das causas da desmotivação dos jogadores em relação ao basquete e na perda do interesse pelo basquete como uma profissão da parte de alguns, que desmotivados pelo esporte, objetivavam procurar outra atividade com função reforçadora positiva, vendo o basquete como segundo plano ou hobby.


Palavras-chave: Psicologia do esporte; Análise do comportamento; basquete.