Atividade: Painel (estudo conceitual)

 

Possíveis contribuições dos estudos de expressões faciais de Paul Ekman para a análise do comportamento no contexto clínico

 

Jean Luca Lunardi Laureano da Silva         
Renan Guilherme Almeida Fidalgo

Silvia Seiko Saito Yamamoto

Elza Maria Tavares Silva

 

Universidade de Mogi das Cruzes         

Paul Ekman destaca-se com pesquisas principalmente no campo das
expressões faciais. Em relação à maneira como Ekman conceitua o fenômeno das expressões faciais, tem-se que estas não possuem uma causação simplesmente internalista, mas que dependem de um contexto para sua emissão e produzem consequências no ambiente social, assemelhando-se às descrições de operantes verbais encontradas na literatura de Análise do Comportamento. A partir da conceituação do autor, teve-se como objetivo do presente trabalho expor algumas outras possíveis contribuições dos estudos de Paul Ekman para a Análise do Comportamento no contexto clínico. Para tanto, foram destacadas as principais temáticas que parecem contribuir com o trabalho de um psicoterapeuta em um ambiente clínico. A primeira é a ideia de que é possível mascarar uma emoção, ou seja, a partir do que Ekman expõe como sendo display rules, um indivíduo pode mudar sua expressão (sendo consciente ou não das variáveis controladoras) para uma mais
aceita em determinado contexto de uma cultura, evidenciando um
possível reforçamento negativo, podendo este fenômeno estar presente
no processo psicoterapêutico. Ekman também realizou estudos sobre microexpressões, ou seja, movimentos faciais milimétricos que tendem a ser quase imperceptíveis ao ser humano, mas cuja detecção é possível ser treinada, e que estão estreitamente relacionados com a expressão emocional. Assim, um psicoterapeuta que tenha um treino específico pode desenvolver um repertório comportamental que lhe permita um maior reconhecimento das emoções do cliente, assim como auxiliá-lo neste reconhecimento. Por último, cabe destacar as contribuições das pesquisas deste autor acerca das expressões faciais e sua relação com a psicopatologia, identificando
que determinadas psicopatologias estão relacionadas a tipos específicos de emoções/expressões, como: raiva, nojo, medo, felicidade, tristeza e surpresa. Dessa maneira, os estudos de Paul Ekman poderão se constituir em possíveis auxílios quanto à detecção precoce de alguma patologia (juntamente com ferramentas já aceitas no âmbito da ciência psicológica) que, se bem trabalhados, podem ir
além do âmbito clínico, estendendo-se à rede de saúde como um todo
e auxiliando, deste modo, na prevenção de possíveis patologias.

 

Palavras-chave: Expressões faciais; Paul Ekman; Análise do Comportamento; psicoterapia; clínica comportamental.