Atividade: Mesa Redonda

 

RELAÇÃO TERAPÊUTICA EM TERAPIA COMPORTAMENTAL DE CASAIS

 

RELAÇÃO TERAPÊUTICA EM TERAPIA COMPORTAMENTAL DE CASAIS: ENTENDENDO E ESTABELECENDO A INTIMIDADE

YARA KUPERSTEIN INGBERMAN

IEPAC – Curitiba

Viver relações de intimidade é central no processo de psicoterapia, nas terapias de casal isto se torna mais complexo uma vez que o terapeuta vai entrar em contato com uma díade já formada que pode ter diferentes modos ou dificuldades em manter a intimidade entre si e com as pessoas com quem se relacionam. Intimidade, para a análise do comportamento, é a possibilidade de se expor ao outro com menor esquiva em ser punido. Expor-se nesta condição e ser mais reforçado que punido leva a sensações de bem estar que chamamos de confiança. Ser aceito, isto é, poder revelar-se sem ser punido, é uma das condições de estabelecimento do que denominamos intimidade. Uma das tarefas de um casal é o estabelecimento de intimidade entre os parceiros e esta vai se desenvolvendo no convívio. Em casais que procuram psicoterapia este processo pode não ter se desenvolvido a contento ou se perde a “confiança”, e sentimentos de mal estar se estabelecem, o que torna o desenvolvimento ou a retomada da intimidade central no processo de psicoterapia. O terapeuta terá a tarefa em desenvolver a intimidade com cada um dos parceiros e dos parceiros entre si através do processo de modelagem na sessão e pelo estabelecimento de estratégias para que este repertório de não punição e aceitação do que me é incomodo no comportamento do outro possa ser restaurado ou estabelecido.