Atividade: Mesa Redonda

TRANSPOSIÇÃO DE DADOS DE PESQUISA BÁSICA PARA PROBLEMAS DA CLÍNICA

 

MODELOS ANIMAIS DE PSICOPATOLOGIAS E SUA POSSÍVEL INTERPRETAÇÃO À LUZ DA PRÁTICA CLÍNICA

 

TALITA CUNHA

USP – São Paulo

Modelos animais são tentativas de reprodução de fenômenos humanos em laboratório com outras espécies, sendo caracterizados pela busca por compreensão acerca de determinada psicopatologia humana (sua etiologia comportamental e biológica) e pelo desenvolvimento de novos e mais eficazes tratamentos para ela. Diversos modelos de depressão são conhecidos na Análise do Comportamento, como o Chronic Mild Stress e o modelo de Desamparo Aprendido, por exemplo. Ao estudar tais modelos, o analista do comportamento procura compreender que variáveis ambientais seriam responsáveis pela produção dos padrões de comportamento descritos no transtorno, além das variáveis que atuam para amenizar ou eliminar esses “comportamentos problema”. Este apresentação terá por objetivo discutir como e porque conhecer as relações funcionais características de psicopatologias produzidas no laboratório possibilitam a inferência a respeito do comportamento humano, levando em conta, dentre outros, os seguintes aspectos: (1) a continuidade biológica existente entre as espécies (produtos do processo de seleção natural - os processos de variação e seleção), que torna possível a comparação entre seres de espécies diferentes; (2) os critérios de validade da psicofarmacologia e sua interface com a Análise do Comportamento; (3) a investigação de processos básicos como parte do desenvolvimento de modelos experimentais (no sentido de que replica-se um “efeito”, dada uma variável ambiental).