Atividade: Mesa Redonda

RELAÇÃO TERAPÊUTICA EM TERAPIA COMPORTAMENTAL DE CASAIS

 

QUEM É O CLIENTE?

MALY DELITTI

CeAC – São Paulo

 Para a Análise do Comportamento as relações conjugais são comportamentos sociais, pois envolvem duas ou mais pessoas que se comportam de forma ordenada uma em relação à outra ou juntas em relação a um aspecto comum do ambiente. Existem reforçadores que só são obtidos quando há um entrelaçamento dos comportamentos dos indivíduos e são estes reforçadores que mantém o relacionamento. A relação conjugal, o que costumamos chamar de “amor” pode ser entendida, então, como uma relação na qual uma pessoa reforça o comportamento da outra e vice versa e, que juntas estas pessoas conseguem mais sucesso, mais reforçadores do que conseguiriam sozinhos, isto é, como uma interação social sua manutenção pode ser explicada segundo os três níveis de seleção: o filogenético e o ontogenético vão operar sobre o comportamento de cada indivíduo e o terceiro nível, o cultural, traz consequências para o indivíduo e para o grupo.  A tarefa do terapeuta é identificar as contingências envolvidas na relação e criar condições para que os clientes possam alterar seus comportamentos de fora a serem mais reforçados e mais reforçadores em sua vida a dois. Frequentemente existem aspectos que cada um dos parceiros evita discutir ou falar para o outro, por esquiva, falta de repertório, ou controle de regras falsas. Neste sentido Delitti e Derdyk (1994) propõem um método de trabalho no qual dois terapeutas atendem os clientes individualmente e em sessões com os quatro participantes, isto é dois terapeutas e dois clientes. Neste trabalho pretende-se discutir as vantagens e os cuidados a serem tomados nesta pratica terapêutica.