Atividade: Comunicação oral (Pesquisa exploratória de natureza aplicada)

CONSTRUÇÃO DE UM PROGRAMA PARA O DESENVOLVIMENTO DE LÍDERES: O CURSO SOBRE FEEDBACK

MARCELO HENRIQUE OLIVEIRA HENKLAIN

Universidade Federal de Roraima

Dar feedbacks pode ser definido como classe de comportamentos com a função de favorecer performance adequada ou de aprimorá-la, a partir da descrição de contingências para que o profissional fique sob controle dos objetivos organizacionais, reforçamento de comportamentos compatíveis com esses objetivos ou descrição do que ele deve fazer para atingi-los. Ausência, insuficiência e inadequação de feedbacks fornecidos pela liderança são exemplos de fatores favorecedores de performance inadequada. A partir de demanda nessa área apresentada por uma empresa paranaense, foi implementado o Programa para o Desenvolvimento de Líderes (PDL). O objetivo deste estudo exploratório foi avaliar a eficácia do primeiro curso do PDL, no qual foram abordados, mediante exposição oral (e recursos audiovisuais), os princípios básicos de aprendizagem, o conceito e a forma correta de aplicar feedbacks. A eficácia do curso foi avaliada pelo domínio do conceito de feedback e dos princípios básicos de aprendizagem e na demonstração de que o gestor conseguiu apresentar feedbacks adequados. Gerente financeiro (G1) e comercial (G2) foram expostos ao pré-teste, seguido pelo curso e pós-teste. Pré e pós-teste consistiram na aplicação de dois instrumentos: prova situacional sobre como dar feedback; avaliação de conhecimentos sobre feedback e aprendizagem. Foram aplicados mais três instrumentos: avaliação dos gestores sobre o feedback que forneciam e avaliação dos colaboradores sobre o feedback recebido do gestor (por determinação da empresa, realizadas apenas no início do curso); questionário de satisfação (aplicado ao final do curso). Observou-se incongruência entre a avaliação de gestores e colaboradores sobre práticas de feedback (G2 afirmou dar feedbacks positivos frequentemente, mas apenas 23% de sua equipe concordou). Verificou-se que G1 e G2 identificaram o papel do feedback como informação sobre a performance, mas não dispunham de instrumentos para mensurá-la e, antes do curso, não discriminavam a relevância de construir essas medidas. Os gestores enfatizaram o modo de dar feedback, mas não descreveram como ajudar o colaborador a mudar de comportamento. Ao comparar os desempenhos de G1 e G2 no pré e pós-teste, notou-se pequeno ganho. Os participantes ficaram satisfeitos; solicitaram, porém, mais momentos de diálogo com o instrutor do PDL. Nos próximos cursos, sugere-se aprimorar os instrumentos para ter dados mais válidos e precisos. Considera-se que, embora o primeiro curso do PDL tenha sido parcialmente eficaz, foi fundamental para iniciar o processo de formação de líderes, colocando-os sob controle de conceitos essenciais à gestão de pessoas e de avaliações sobre a adequação dos feedbacks que fornecem.

Palavras-chave: Feedback; gestão de pessoas; liderança; treinamento e desenvolvimento.