Atividade: Comunicação oral (Estudo de caso clínico)     

 

DÉFICITS COMPORTAMENTAIS ESCONDIDOS POR TRÁS DE UMA QUEIXA DE ABUSO SEXUAL: ESTUDO DE CASO EM TERAPIA POR CONTINGÊNCIAS DE REFORÇAMENTO (TCR)

JOÃO EDUARDO CATTANI VILARES

ITCR-Campinas

 

nia (53) era casada com Márcio (57), mãe de Julio (28) e Marcela (30). Fazia parte de uma comunidade evangélica. Relatou como queixa o fato de ter sido abusada sexualmente pelo avô na infância, dos oito aos onze anos, e dizia que as dificuldades atuais que encontrava no casamento eram consequências desses episódios de abuso: “Vejo meu avô no meu marido.”. Com suas intervenções, o psicoterapeuta identificou dificuldades comportamentais de Sônia, tais como: déficit de comportamentos desejados para produzir reforçadores positivos nas interações sociais (tais como dificuldades para ouvir e se comportar sob controle do que o outro diz, ou mesmo de fazer críticas diretas para as pessoas) e déficits para discriminar as Contingências de Reforçamento (CR) em operação devido ao excesso de comportamentos governados por regras e autoregras. Esses comportamentos controlados por regras tinham como subprodutos dificuldades para produzir mudanças em sua vida e em seu casamento. O excesso de comportamentos governados por regras associado ao seu repertório comportamental, isto é, um repertório basicamente mantido por reforçamento negativo (tal como limpar a casa, cozinhar, passar etc.) fizeram com que Sônia permanecesse sob controle das mesmas Contingências de Reforçamento por anos. A interação com o marido sempre foi caracterizada por diálogos pobres, rudes, resultando em relações desequilibradas de de controle e contracontrole, isto é, Sônia era imperativa com o marido (comandava, ditava regras etc.), e este sempre cedeu, reforçando negativamente os comportamentos autorizarias da esposa, tais como exigir que o marido comesse à mesa, saísse com as roupas que ela queria, entre outros. Comportamentos que antes eram reforçados pelo marido, entretanto, deixaram de ser. A carência de reforçadores advindos do marido ao repertório diretivo de Sônia estabeleceu a condição para que a cliente procurasse psicoterapia. O objetivo desse trabalho é apresentar a condução de um estudo de caso e expor uma análise comportamental conceitual a partir da queixa apresentada, até identificar a real problemática da cliente. Sob controle dessa queixa, o que o psicoterapeuta pode fazer? Como a Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR) auxilia o psicoterapeuta a conceituar, conduzir e modificar um padrão comportamental como o apresentado pela cliente?

 

Palavras-chave: Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR); abuso sexual; controle coercitivo; resistência à mudanças; análise conceitual.