Atividade: Comunicação Oral (Estudo de caso clínico)    

 

DESENVOLVIMENTO DE REPERTÓRIOS EM CLIENTE DE UM ABRIGO INFANTIL: ESTUDO DE CASO EM TERAPIA POR CONTINGÊNCIAS DE REFORÇAMENTO (TCR)

 

GABRIELA DE GUZZI BAGNATO
César Augusto Curvello de Mendonça
Instituto de Terapia por Contingências de Reforçamento

 

Larissa (08) morava em um abrigo infantil em uma cidade do interior do estado de São Paulo. Cursava o primeiro ano do Ensino Fundamental em uma escola municipal e frequentava um projeto socioeducativo. Técnicos do abrigo procuraram atendimento psicológico para preparar a cliente para uma possível inserção em família guardiã. A cliente não relatava nenhuma queixa. Algumas das dificuldades da cliente eram: baixa emissão de comportamentos governados por regras e instruções, déficit no repertório verbal, dificuldade para discriminar sentimentos  e para expressá-los, déficit no repertório de interação social. Na sua história de contingências de reforçamento (CR), a comunidade verbal a qual a cliente foi exposta antes de ser abrigada, mais especificamente a família, não manejou CR que instalassem e desenvolvessem repertório de comportamentos sob controle de situações e eventos que faziam parte da rotina de uma criança e que envolviam o seguimento de regras. Por não possuir este repertório, a cliente quando foi abrigada passou a emitir comportamentos com função de fuga-esquiva no ambiente institucional, escolar e terapêutico  em situações nas quais tinha que se comportar sob controle de regras. Os membros da família da cliente emitiam relatos pouco acurados e compreensíveis e comunicavam-se de forma indesejada. Sem acesso a modelos de comportamento como os de relatar e manter uma conversa, nem instruída e modelada para emitir tais comportamentos, a cliente apresentava repertório verbal deficitário semelhante ao dos familiares. O repertório verbal empobrecido da família e a falta de comunicação contribuíram também para que a cliente tivesse dificuldade em discriminar e emitir tatos sob controle de seus  sentimentos. O déficit no repertório de interação social se justificava pelo limitado repertório de habilidades sociais da comunidade verbal de Larissa, que não funcionou como modelo e fonte de instruções para a emissão de respostas desejadas para a convivência social, como selecionadora de comportamentos socialmente habilidosos e foi pouco capaz de proporcionar condições em que a cliente pudesse treinar seu repertório de interação com outras pessoas. Os principais objetivos do processo psicoterapêutico foram: ampliar e fortalecer repertório verbal, desenvolver repertório de ficar sob controle de CR que envolviam regras, desenvolver repertório de discriminação e emissão de tatos sob controle de sentimentos e fortalecer o repertório de interação social. Os principais procedimentos empregados foram: instrução verbal, modelação, controle de estímulos, reforçamento positivo, descrição de CR, princípio de Premack e uso jogos. Os principais resultados incluíram: a emissão de comportamentos desejados de interação verbal e social, a discriminação e emissão de tatos sob  controle de sentimentos e a  emissão de comportamentos sob controle de regras e instruções nas sessões e em seu ambiente natural.

 

Palavras-chave: Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR); déficit no repertório social; comportamento governado por regras.